Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Você alguma vez já sonhou estar mantendo relações sexuais com alguém, e este sonho não só lhe pareceu tão real quanto os sentimentos que nele sentiu? 

Já ouviu falar de Incubus e Succubus? 

(Ilustração: Google Imagens)

ÍNCUBO

(Ilustração: Google Imagens)

Em latim INCUBUS, de “incubare”, é um demônio na forma masculina que se encontra com mulheres durante o sono, a fim de ter relação sexual com elas. Neste encontro de sexo, o ÍNCUBO drena a energia feminina para com ela se alimentar, deixando a mulher viva, na maioria das vezes, mas muito fragilizada.

A palavra em latim significa que alguém está em cima de outra pessoa: INCUBO = sobre. O ÍNCUBO aparece geralmente durante os sonhos em que a vítima, ou a mulher, está sentindo prazer e, neste momento, toma a forma mais atraente possível, e com seu magnetismo, suga toda a energia sexual da parceira. Por estar completamente indefesa a mulher oferece involuntariamente sua energia, inconscientemente, para retribuir o prazer dos momentos vivenciados. Ao acordar está totalmente prostrada, fragilizada, cansada, exaurida, e, na maioria dos casos, não se recorda absolutamente de nada.


SÚCUBO

(Ilustração: Google Imagens)

Em latim SUCCUBUS, de “succubare”, é um demônio com aparência feminina que invade o sonho dos homens com o objetivo de manter uma relação sexual com eles e lhes roubar a energia vital. Neste ato o SÚCUBO se alimenta da energia sexual dos homens coletando seu esperma para engravidar a si mesmo, ou a outros de sua espécie, assumindo a forma e a aparência do desejo sexual do parceiro humano.

De acordo com a Mitologia, são seres que podem viver aproximadamente 750 anos, e estão associados a casos de doenças e dramas psicológicos de origem sexual, eis que após os ataques infligiam às vítimas pesadelos, seguidos de poluções noturnas.

De acordo com o Malleus Maleficarum = Código Penal das Bruxas, os SÚCUBOS recolhem o sêmen dos homens com os quais mantém relações sexuais, para que um ÍNCUBO posteriormente possa engravidar mulheres. Estes demônios assumem a forma de lindas e sensuais mulheres, e seduzem especialmente os monges, sustentando-se com a energia sexual dos homens, que levam à exaustão e até à morte.

O fato de que os demônios não podem se reproduzir normalmente é amparado nesta forma inusitada de reprodução, eis que o ÍNCUBO poderia engravidar uma mulher utilizando o sêmen obtido no ataque do SÚCUBO à um homem.

Para melhor utilizarem o ato sexual como forma de alimento, estes demônios assumem uma aparência extravagante, de rara beleza: os SÚCUBOS como mulheres de grandes seios, às vezes com asas de morcego e chifres; outras vezes como mulheres lindíssimas, povoando os sonhos dos homens que, não conseguem tirar sua imagem da mente, podendo chegar às raias de uma paixão avassaladora; os ÍNCUBOS assumem a forma de machos sedutores, podendo também possuir as características demoníacas, mas nada disso perturba suas vítimas que já se encontram subjugadas pelo poder da sedução sexual que eles exercem.

Estes demônios eram facilmente reconhecidos na Idade Média onde se praticava exorcismos específicos para o banimento destes seres maléficos, e a conseqüente libertação das vítimas dos ÍNCUBOS e SÚCUBOS.

A criança supostamente nascida dessas relações de humanos com os ÍNCUBOS e SÚCUBOS, teria qualidades sobrenaturais, que são reconhecidas nos grandes heróis e magos, como o Mago Merlin, que teria sido concebido numa relação desta natureza.

Os ÍNCUBOS não eram nomeados, mas os SÚCUBOS sim, e foram expressamente mencionados e associados com vários atributos de Lilith, a antiga mulher-demônio, a imagem mítica do “SUCCUBUS-INCUBUS”, que no final do século XX, foi elevada ao posto de deusa em algumas seitas de bruxaria moderna.

Existem alguns rituais para se convocar um ÍNCUBO ou SÚCUBO a manifestar-se, mas as obsessões sexuais não satisfeitas, excessos e morbidez perversas podem facilmente desencadear o fenômeno desses demônios.

Há que ser ressaltado que essas evocações devem ser efetivadas por pessoas capazes de salvaguardar a si mesmas, pois é uma prática deveras perigosa para os iniciantes. Há uma grande diferença entre a formulação de um encontro com uma entidade demoníaca e convidar um ÍNCUBO ou um SÚCUBO para possuí-lo. Pode-se identificar a primeira opção como uma operação litúrgica do Caminho da Mão Esquerda, e a segunda opção, como um desejo sexual auto-destrutivo.

Nos tempos modernos, essa procura insana pelo parceiro sexual demoníaco pode ser o sinônimo de uma elucubração doentia da sexualidade, e o que torna tudo muito pior, a incapacidade de encontrar um parceiro humano real e adequado.

Um comentário:

  1. Olha pelo que eu estou vendo,parece que eu passei por isso ontem!

    Estou meia confusa quando eu acordei eu pensei que meu cérebro tinha feito essa projeção, mas vi que Realmente não foi, acordei muito debilitada e com dores no corpo e nos pulsos como se alguém tivesse apertado.

    ResponderExcluir

Bottom Ad [Post Page]